27 de julho de 2015

Eu tive um aneurisma cerebral rompido

aproveite a vida ao máximo

Até aquele dia de dezembro eu nem sabia o que era, mas quando aquela dor na cabeça me pegou e me fez deitar no chão, percebi que não estava bem. A dor era tremenda e comecei a pedir a Deus força para levantar e conseguir descer até a sala para ligar para alguém e pedir ajuda. Consegui. Nem uma hora depois estava sendo atendida no pronto socorro.

A dor continuava lá e não passava nem com os primeiros medicamentos que recebi. O peso na cabeça era tanto que nem levantar a cabeça eu conseguia.

Fiquei isolada com minha amiga até que os resultados dos exames chegassem. Chegaram e o médico pediu para eu tirar a máscara porque não era miningite, dei graças porque aquela máscara estava me sufocando, não suporto cobrir o nariz. O médico chamou minha amiga para fora do quarto. Ela voltou com uma cara nada boa e me falou que eu tive um aneurisma cerebral rompido. Perguntei se era grave e recebi de resposta que era muito grave.

A partir daí recebi duas doses de morfina para aliviar a dor. Nem lembro se aliviou ou se fiquei grogue mesmo, mas fiquei ok. E, relatei novamente para os médicos e afins o que tinha acontecido. – Eu estava indo tomar banho, de repente minha cabeça estourou. – Mas não desmaiou? – Não desmaiei. – Você teve muita sorte de chegar aqui.

Depois disso descobri que quando um aneurisma cerebral rompe dificilmente a pessoal fica consciente ou chega viva ao hospital. Mas isso só fiquei sabendo depois de passar pela cirurgia, antes dela as pessoas não me falavam muito da gravidade, e confesso que a dor não dava espaço para eu pensar em nada além dela.

Na sala de cirurgia brinquei com as pessoas e apaguei. Acordei quando estava sendo levada para algum lugar e vi minha família, em seguida fechei os olhos. Lembro de ter sorrido pro me tio que fez carinho na minha cabeça. Acho que só acordei mesmo de madrugada na UTI, e por lá fiquei por 21 dias. Conheci vários profissionais fantásticos nesses dias.

aproveite a vida

Fiquei internada por 22 dias, já que 21 deles corria sério perigo de vida. A mola que colocaram no aneurisma rompido poderia soltar e causar danos diversos. Quando o aneurisma rompe as veias cerebrais se contraem (algo assim) e depois vão voltando ao normal, neste processo poderia haver complicações. O bom é que em nenhum dia, mesmo aos poucos descobrindo cada perigo da minha delicada situação, eu tive medo. Pelo contrário, sabia que ia me recuperar e ficar sem nenhuma sequela e foi isso que aconteceu.

Eu tinha 25% de chances de sobrevivência, caso sobrevivesse seria com sequela. O amor das pessoas e, principalmente, de Deus me curaram e eu sou a mesma Mariana de antes daquele 16 de dezembro de 2014. Claro que com 10 kg a mais, porque comi naquele hospital como se não houvesse amanhã.

Meu médico disse que o aneurisma aconteceu por causa do cigarro. Eu fumava, parei. Não acredito que foi só o cigarro. O aneurisma, tanto quando a trombose, pode dar por alguns motivos: hereditário, anticoncepcional e cigarro. Eu tinha todos eles, fumava, tomava anticoncepcional e meu pai faleceu por causa de um aneurisma cerebral (não sabia disso). Vale lembrar que juntos anticoncepcional e cigarro são uma bomba para mulheres, mas quando os médicos chamam atenção sobre isso nem ligamos. Eu nunca liguei.

De qualquer forma, além do aneurisma rompido descobri que tinha outros cinco (Oi, prazer, Srta. Aneurisma!). Desses, dois são bem pequenos e não tem como operar, serão acompanhados, um do lado direito operei no fim de maio, que infeccionou na última semana e me fez abrir a cabeça novamente para limpar a secreção e me deixou internada por mais uma semana. Tomarei seis semanas de um antibiótico muito, muito barato (pegue o sarcasmo).

Agora por causa da inflamação e o tempo de tratamento dela, só devo operar os outros dois aneurismas no ano que vem. Fico angustiada com isso, queria retomar minha rotina. Mas tem um porque, né? E eu aposto que o porque é muito bom.

Com o que aconteceu parei de deixar a vida me levar, comecei a correr de verdade daquilo que quero e parei de reclamar de tudo ou mesmo deixar que os problemas se tornassem o meu percurso de cada dia. É meio clichê isso, eu sei, mas mesmo sendo clichê todos fazem e só um baque para acordar (as vezes nem ele). 

Hoje escrevo esse post, porque precisava escrever sobre isso, essa infecção me deixou um pouco mal, sabe!?! E estou, pela primeira vez, achando difícil sorrir. Talvez colocando minha experiência no papel eu continue na energia boa que sempre estive. Porque o pior já passou e eu fui abençoada. E, sei que essa fase vai passar da melhor maneira, porque minha fé está intacta. Eu só preciso continuar a sorrir.


Estou: Facebook | Twitter | Instagram | Skoob
Reactions:

6 comentários:

  1. No alívio do aflito interdito só o por escrito supera o grito.
    GK

    ResponderExcluir
  2. Força que você consegue superar isso, moça, de verdade !

    ResponderExcluir
  3. Mari! WOW! Eu me arrepiei lendo o seu relato e junto, senti uma dor estranha no peito. Ainda bem que está bem. Fico feliz. <3
    namesmafrequencia.com.br

    ResponderExcluir
  4. As vezes as coisas acontecem na nossa vida, para que a gente comece a enxergar a vida de uma outra forma, também passo por alguns processos que não são fáceis, mas de tudo isso, hoje eu tenho uma visão totalmente diferente das coisas, e a minha fé se elevou a outro nível, então tenha fé em Deus que com certeza tudo vai dar certo, as vezes o desânimo quer nos pegar mesmo, mas não deixe ele te pegar por muito tempo, como você mesma disse: o pior já passou.
    Beijos!

    www.vanviroumodinha.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Eu sempre me pergunto; por que essas coisas acontecem? Por que as pessoas sofrem? Mas quando vejo situações como essa, olho para o céu e lembro que existe um Deus que comanda todas as coisas. Um Deus que olha cuidadosamente para os seus filhos. As vezes, Ele sofre por ter que permitir que a gente sinta dor. Mas Ele cuida de cada um, e sabe exatamente o que precisamos. Eu não diria que foi sorte o que aconteceu com você, não acredito em acaso. Tudo tem um propósito, e é bom saber que você pôde tirar boas experiências dessa situação. Espero que fique bem. Vou orar por você Mariana, pra que Deus continue cuidando de você.
    www.desventurasdeumacacheada.com.br

    ResponderExcluir
  6. moça, isso é sério????
    estou sem palavras... encantada com sua força!
    as vezes essas "provações" são para nos tornar mais fortes, dar boas experiencias e ensinar a viver.
    Não acredito em Deus nem em sorte, mas seja lá o que for, está favorável ao seu lado. que seu caminho seja cheio de luz moça, e que coisas boas preencham seus dias...

    Desconstruindo blog

    ResponderExcluir